Prefácio 1


Aceitei prontamente o convite para prefaciar esta curiosa e original coletânea de contos. Não poderia ser diferente, já que todo o seu conteúdo gira em torno de um momento histórico tão marcante, tendo como motivo central um grande nome do nosso Segundo Império: Isabel.

A coletânea poderia ter simplesmente este nome, pois ao tratarmos da história do Brasil automaticamente nos remeteríamos a ela: Princesa Isabel.
Com uma formação e educação totalmente diferente das mulheres de seu tempo, a filha do então Imperador Dom Pedro II foi perfeitamente preparada para ser uma Imperatriz. Teve a mesma dura formação do seu pai, uma vez que visava o preparo rígido independente de ser do sexo feminino.
Sendo assim, tornou-se a preparada Princesa Imperial que assumia a regência, o trono e o comando do Império na ausência do seu pai. Em uma destas vezes assinou a importantíssima Lei Áurea, que dava liberdade a todos os escravos do território nacional. Escravos estes que sempre foram protegidos por Isabel, que cresceu em contato direto com eles. Sempre lutando por seus direitos, bem como os direitos de educação pública de qualidade para o povo brasileiro na época.
Certamente suas lutas em favor dessa parte da sociedade menos favorecida, tornaram-na uma mulher lembrada. Se não a mais importante da época, uma mulher à frente do seu tempo. Uma pioneira da voz feminina na política nacional.
Parece-me, portanto, uma justa homenagem que rende à Libertadora cada um dos autores das obras constantes deste volume. Obras que, apesar de estarem mais focadas na originalidade e criatividade dos contistas do que na exatidão histórica, certamente evidenciará a importância que teve a princesa imperial em seus dias.
‘A Lei Áurea’ certamente transportará o leitor e a leitora para instantes inimagináveis do Glorioso Império do Brasil. Certamente a maneira como foram descritos parecerão completamente diferentes dos momentos realmente vividos pela Princesa Isabel, que bem poderia ter sido a maior brasileira de todos os tempos. Mas eu os convido a se permitirem serem transportados para a nova realidade oferecida por esta coletânea.
E após cada um destes belos e selecionados textos, tendo o seu autor firmado, desde já subscrevo, confirmando que foi exatamente assim que tudo aconteceu.

Thiago Lima
Aluno da Escola de Sargentos das Armas (EsSA)